#LucasViaja: São Pedro, bonita por natureza no interior de São Paulo

Mirante de São Pedro

Um final de semana incrível numa cidadezinha do interior de São Paulo. Foi o que nos prometeram quando a Secretária de Turismo de São Pedro nos convidou para uma viagem de 190 km até a cidade saindo da capital paulista e passando por Campinas e Piracicaba. 

Bonita por natureza, a síntese do Brasil, numa cidadezinha de pouco mais de 30 mil habitantes, São Pedro consegue agradar à todos os públicos: os praieiros, os da montanha e também quem curte esportes radicais e experiências inesquecíveis. 

Infelizmente não foi possível fazer o voo de balão

Ficamos na cidade cerca de dois dias e meio na cidade para descobrir tudo de bom que ela tem a oferecer. 

1º dia

O primeiro dia foi reservado para a viagem que durou cerca de 2h30 até São Pedro e para a chegada no hotel. Ficamos hospedados na Pousada dos Caminhos que fica bem perto do centro da cidade. Como comodidades, a hospedagem oferece diversos tipos de quartos, café da manhã e piscina. A pousada também é pet-friendly e permite que você leve contigo o seu animalzinho de estimação. 

Thermas Water Park, São Pedro

O jantar foi no Hotel Fazenda Fonte Colina Verde, um dos principais da região e também um dos mais caros. Para o final do ano, por exemplo, uma família de cinco pessoas não desembolsaria menos que R$ 16 mil para 8 dias. Nisso, porém, a comodidade oferece pensão completa, piscinas, ofurô entre outras atividades para adultos e crianças. 

2º dia

A madrugada do nosso segundo dia em São Pedro seria reservado para um passeio de balão. Mas, o mau tempo do dia anterior não permitiu que o passeio fosse feito. Ainda assim, para o nosso azar, amanheceu com o tempo firme e fazendo bastante calor. 

Por isso, fomos direto para o Thermas Water Park, um parque de águas termais, mais ou menos igual aos parques que existem em Olímpia a 500 km da capital. O parque de São Pedro é mais novo e não muito conhecido ainda, embora esteja entre os 10 mais visitados de 2018. 

E não deixa a desejar. 

Para se ter uma ideia, o Thermas tem a maior Piscina de Ondas do Estado de São Paulo e o maior parque infantil da América Latina e o melhor: a água é quente. O parque possui quilômetros de toboáguas, áreas tematizadas e decoradas e diversão garantida para adultos e crianças. 

Possui 3 mil vagas de estacionamento, 1200 vagas de armários para que os visitantes guardem seus pertences, restaurantes e comodidades completas para que você apenas curta sem se preocupar com mais nada. 

Saindo do parque, fomos almoçar na Pousada Cachoeiras da Furna. Um estabelecimento praticamente no meio do nada e no pé da serra. Com diversas belezas naturais, boa comida feita à lenha e, claro, cachoeira. 

Vista do alto da Serra do Itaqueri

Uma hospedagem no local é bastante barata, tendo em vista tudo que oferece: piscina, ofurô, suítes e pensão completa. De acordo com a proprietária, o valor da diária é de R$ 299 por pessoa, na baixa temporada. Para o final do ano, não há mais disponibilidade de pacotes. 

Tivemos um intervalo de descanso e logo após fomos para um evento gastronômico com uma vista de tirar o fôlego. No alto da Serra do Itaqueri, os alunos do curso de gastronomia do Senac São Pedro nos receberam com comidinhas pra lá de deliciosas no novíssimo, pós reforma, Parque Marcelo Golinelli

Tivemos o melhor pôr do sol que pode-se ter: no alto da montanha, música e comida boa, e uma vista para as cidades da região que é praticamente inesquecível. Já viajei para vários países do mundo, todos com sua beleza e identidade, e da mesma forma que o pôr do sol no alto do The Shard em Londres é incrível, garanto que São Pedro é igualmente sensacional. Afinal, cada experiência é o que conta. 

Anoitecer no alto do Mirante de São Pedro

Fechamos o dia com um bom bate-papo e cerveja na principal cervejaria artesanal da cidade, a HZB. 

3º Dia

O dia começou bastante chuvoso e o passeio de balão foi adiado para uma próxima oportunidade e o dia seria repleto das mais diversas experiências gastronômicas.  

Para começar, fomos convidados para um café da manhã no Quintal da Serra. Um espaço lindíssimo em que você sente na casa da avó: boa comida, acolhedor e bonito. A proprietária comentou que o Quintal da Serra Café Colonial Rural foi projetado para transformar a sua primeira refeição do dia em um momento inesquecível. E foi. 

Cruzeiro do Facão, em São Pedro

Na sequência, por conta da chuva, alguns passeios foram alterados, como a visita ao Parque do Cristo, que pudemos ver de relance na noite anterior, pois fica no mesmo lugar que o Mirante de São Pedro. 

Conhecemos o Museu Gustavo Teixeira, a celebridade local, e grande poeta. O museu em sua homenagem foi tombado e conta a história da cidade. Para uma cidade pequena como São Pedro, ter o local à disposição e, claro, poder homenagear seu principal artista é motivo de orgulho. Todos parecem gostar e apreciar muito o espaço, além de lutarem por melhorias que em breve serão feitas. 

Conhecemos por ali também a Feira de Artesanato dos locais. Há de tudo à venda, de pequenas peças que podem ser usadas como recordação de São Pedro, a chás, ervas, utensílios domésticos e presentes. 

Vila Del Capo, em São Pedro.

Na sequência, fomos ao Antiquário Vila Del Capo. O local possui mais de 3 mil peças em exposição e todas estão à venda também. Encontra-se de tudo. E além de Antiquário, funciona como Bistrô também. Um restaurante requintado e cinco estrelas no topo da serra. Vale a visita, tanto para conhecer os itens, como para comer bem. 

Mas o nosso almoço foi no Rancho da Tirolesa. O nome já remete à aventura que o local disponibiliza. Afinal, uma tirolesa de quase 1 km de trajeto está à disposição dos visitantes. Infelizmente, por conta da chuva, não conseguimos realizar o passeio.

De todos os restaurantes que havíamos passado, foi o que menos gostei. A comida demorou e os garçons estavam perdidos com tantos pedidos, então ora ou outra rolava um stress. Eles também ainda não sabem preparar sucos naturais, embora ofereçam no cardápio.

Para melhorar isso, a secretária de turismo da cidade, Clarissa Quiararia nos contou que estão sendo oferecidos diversos cursos, em parceria com o Senac e Etec, para que os serviços da cidade passem a ser padronizados e de qualidade para atender à todos os turistas que eles estão trazendo. 

Cascata Dorigon, em São Pedro

Em altas temporadas a população dobra e, em parceria com órgãos públicos e a prefeitura, da nova gestão para cá, a cidade recebeu melhorias em infraestrutura, negócios, comércio, atendimento e entretenimento. Ou seja, embora existam problemas, eles estão sendo resolvidos aos poucos. 

Fechamos nosso final de semana incrível na doceria mais famosa da cidade, Zuleikas Doces, que está sempre lotada e que não decepciona no sabor e nas ofertas de bolos, tortas, bombas entre outros doces. 

Enfim, o que eu achei de São Pedro?

Mirante do Cristo, em São Pedro

É uma cidade incrível e deve me fazer quebrar a tradição de passar o ano novo na praia. Fiquei apaixonado e quero voltar para curtir tudo com um pouco mais de calma. O parque aquático, as montanhas, cachoeiras e, claro, o passeio de balão que ficou faltando. 

A cidade vale bastante a pena e, além de oferecer todos esses atrativos, é barata. Um turista fazendo de tudo e mais um pouco, sem passar vontade, gasta cerca de R$ 200 por dia. É pouco, tendo em vista outras cidades com a mesma infraestrutura e atrações oferecidas. 

No final, o saldo é positivo. É uma cidade que você volta para visitar várias vezes nos feriados e datas festivas ao longo do ano. É bonita por natureza, sem dúvidas. Se não conheceu ainda, vá conhecer. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.