“Super Drags” tem defeitos, mas era o que faltava para as gays na Netflix

A Netflix resolveu afrontar e sambar na cara da sociedade e lançou sua primeira animação LGBTQ+ e brasileira, Super Drags. Pabllo Vittar e Silvety Montilla são as vozes das personagens principais Goldiva e Vedete. 

Com um trio de super-heróis, melhor dizendo super-heroínas, os amigos Patrick/Lemon Chifon/ Ralph/Safira Cyan e Donizete/Scarlet Carmensin se montam para bater de frente com toda a injustiça que recai na cidadezinha de Guararanhém e, juntas, elas combatem sua inimiga Lady Elza.

A vilã pretende roubar todo o “highlight”, a energia vital das gays e o que os tornam especiais, deixando eles cinzas e sem vida, elas também batem de frente com o culto ‘Gozo do Céu’, liderado pelo profeta Sandoval Predoso, que ataca constantemente a comunidade com seu preconceito e discursos de ódio. A série aborda temas atuais da sociedade brasileira com bom humor e algumas polêmicas. 

Um deputado fez um verdadeiro auê nas redes sociais ao pedir o cancelamento da série pela Netflix, recebendo apoio e outras milhares de críticas. A comunidade LGBTQ+ também não deixou barato e atacou a objetificação e a caricatura gay que foi apresentada na série. 

Por ser uma animação brasileira, conta com muitas referencias, como por exemplo, a dupla de YouTubers do canal Diva Depressão, a grávida de Taubaté, diversos memes das redes sociais, além de gírias e frases de efeito que faz o telespectador rolar de rir com a identificação. Além disso, conta com a participação de ícones Drags como a cantora Pabllo Vittar dando voz à Goldiva e Silvetty Montilla dando voz à Vedete Champagne.

A série aborda assuntos como a “cura gay”, intolerância que a comunidade LGBTQ+ sofre por causa de fanáticos religiosos, e, claro, também traz à tona cenas onde mostra a importância do amor próprio e que você é perfeito do jeito que é, que a verdadeira família é aquela que cuida, te aceita e te apoia. E,  acima de tudo, mostra que, com a união, somos capazes de tudo.

Produzida pelo Combo Estúdio, Super Drags foi criada por Anderson Mahanski, Fernando Mendonça e Paulo Lescaut, com produção executiva de Marcelo Pereira. 

Com apenas 5 episódios curtinhos, não passando de 30 minutos, é uma ótima pedida para este super feriadão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.