REVIEW: 5ª temporada de House Of Cards mostra que a ficção e realidade trabalham juntas

A nova temporada da série House Of Cards estreou na Netflix no último dia 30 e já está dando o que falar, afinal, a série traz muitas situações em que o mundo se vê passando atualmente na questão política mundial. Corrupção, a eleição inesperada de Donald Trump, o impeachment da presidente Dilma Rousseff, são quase que piadas prontas para os roteiristas que tentam fazer a realidade se encaixar com a ficção.

Resumo da temporada

Nesta temporada nós vemos o desenrolar da eleição presidencial nos EUA, entre Frank Underwood e Will Conway que acaba sendo afetada por um suposto atentado terrorista que fecha algumas zonas eleitorais e faz com que o resultado da eleição nunca seja confirmado. Por esse motivo, a Câmara e o Senado devem escolher, de acordo com a Constituição o novo presidente e vice. É quando as falcatruas de Frank e sua esposa Claire entram em ação, em sua busca implacável pelo poder.

Ao perceber que não teria o apoio necessário na Câmara, Frank decide que é hora de pedir que o povo vote novamente nos estados onde a eleição não foi finalizada. Enquanto isso, o Senado decide que Claire Underwood deveria ser eleita como vice-presidente e ela passa a exercer o cargo de presidente da república interina. Contando com a ajuda de assessores parlamentares fieis, o casal descobre alguns destemperos do candidato oponente e tratam de vazar as informações, afim de influenciar o eleitor a votar em sua chapa e, finalmente vencer.

Will Conway e sua esposa são os candidatos oponentes à presidência (Foto: Netflix Media Center)

Ao ganhar a eleição, Frank passa a ter novos desafios. Com uma oposição implacável e jornalistas investigativos no pé, o casal passa por algumas dificuldades e acredita que não conseguirá finalizar o mandato correndo o risco de sofrer um impeachment por se envolverem em diversos casos de corrupção e, até mesmo assassinato, como no caso da repórter Zoe Barnes (2ª temporada).

A série aposta na verossimilhança: não fosse os rostos conhecidos do nosso noticiário diário, poderíamos acreditar sinceramente que o roteiro conta a história real da nossa política. House Of Cards é deliciosa de se assistir, e mesmo cometendo diversas atrocidades, nós conseguimos gostar e – até mesmo torcer – para que Frank consiga tudo o que quer. Além disso, traz algumas bizarrices como: ter o amante de Claire morando junto do casal na Casa Branca e os relacionamentos homossexuais de Frank trazidos à tona.

Com aumento do elenco e novos roteiristas, parece que a trama engessou e ganhou mais vida e fôlego ao chegar na sua temporada mais polêmica e – até então – a melhor de todas. Porém, com a resolução dos problemas, a descoberta dos crimes cometidos e da corrupção cometida, parece até que já dá para sentir que o final da série está bem próximo.

House Of Cards – 5ª temporada – já está disponível na Netflix desde o dia 30. Não deixe de assistir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.