“Pequeno Segredo”: filme que vai representar o Brasil no Oscar já venceu em sensibilidade

O ano de 2016 foi marcado por muitas polêmicas, isso é inegável. Após o protesto do elenco de “Aquarius”, em Cannes, contra o governo ilegítimo de Michel Temer, a briga por qual filme representaria o país no Oscar se acentuou.

De um lado, a galera que, por representatividade, acreditava que ‘Aquarius’ deveria ir ao pleito da Academia por se opor ao vice-decorativo de Dilma Rousseff ganhou voz, mas os críticos optaram por “Pequeno Segredo” e cá entre nós: ele não decepciona.

Baseado em uma história real, “Pequeno Segredo” conta a emocionante história de uma menina e três mulheres que compartilham um segredo que mudará suas vidas. A pequena Kat sobreviveu à maior das tragédias em sua infância, a perda dos pais. Após sua adoção inicia um surpreendente caminho de aventuras. Já na adolescência, Kat busca se encaixar à uma vida “normal”. Heloisa, a guardiã do segredo, é uma mãe dedicada que luta para manter a integridade e união de sua família, mas ela sabe que o futuro é imprevisível. A jovem amazonense Jeanne descobre em seu amor por Robert, um estrangeiro, que as possibilidades são infinitas, mas não conta com o destino, que tem seus próprios planos. Barbara, uma senhora que se tornou fria e solitária, é capaz de tudo para conseguir o que quer. Um dia o passado bate em sua porta e ela embarca em uma jornada para redescobrir o amor. Histórias de amor, família, felicidade e frustração são interligadas por um único e “Pequeno Segredo”. Um filme surpreendente e inspirador que fará você mudar a maneira de ver a vida.

Em São Paulo, Heloísa e Vilfredo contaram um pouco mais sobre a composição do livro (2012) e do filme. Além disso, um elenco de peso deu vida à família nas telonas. “Tenho certeza de que o ‘Pequeno Segredo’ vai levar para o público toda essa emoção que nós vivemos, desde os dois anos e meio da Kat até os 14. A história é real e isso é muito duro, do fundo do nosso coração”, afirma Vilfredo.

Já no livro “Pequeno Segredo: A Vida Espetacular de Kat Schurmann” (2012), a própria Heloisa conta sua experiência com a criação de uma criança portadora de uma doença incurável. “Eu demorei seis anos para tomar coragem e escrever sobre a Kat. Foi um processo muito difícil, e o David disse que seria muito legal se pudesse contar essa história também”, diz a velejadora.

O longa pode até não ganhar o Oscar, mas garanto, venceu em sensibilidade ao mostrar a batalha de uma criança contra uma doença incurável, que nem ela entendia muito bem como se desenvolveu. Em mostrar como o amor da família deve se fazer presente em todos os momentos. Bons ou ruins.

O longa estreou em circuito nacional nesta quinta, dia 10 com Julia Lemmertz, Marcello Antony, Maria Flor e a estreante Mariana Goulart, além da irlandesa Fionulla Flanagan e o neozelandês Erroll Shand.

Confira o trailer:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.