Parece clichê, mas não espere perder para dar valor

Ontem de madrugada eu assisti “Como Perder Um Homem em 10 Dias”, é um filme antigo, mas fiquei pensando muito no que nós mesmos fazemos em nossos relacionamentos.

Andy é jornalista; usando como base uma decepção recente de sua melhor amiga e para impressionar sua editora-chefe, ela diz que fará um super texto para sua coluna na revista, com dicas infalíveis de como perder um boy em 10 dias. Na contramão, Benjamin é publicitário, cachorrão, e aposta uma grande conta na agência, dizendo, e apostando com o chefe, que em 10 dias vai fazer uma mulher se apaixonar perdidamente por ele. Vocês já devem imaginar que um vira o alvo do outro, né?

Andy faz a louca. Compra um cachorro, faz pedidos inusitados, é manhosa, invasiva e grudenta, estraga a noite de poker dos rapazes, leva Benjamin para o show da Celine Dion (no dia da semifinal do basquete), é indiscreta e super escandalosa. Faz o tipo que todo homem jamais suportaria por muito tempo. Benjamin releva, com bastante ódio, é claro, mas permanece firme no jogo durante os 10 dias de sua aposta. Andy fica sem entender, é claro. Ninguém suportaria.

Como toda boa comédia romântica, uma hora, finalmente, eles notam que se apaixonaram. Andy nota que não consegue mais ficar sem Benjamin, enquanto ele percebe que suas tentativas para manter o relacionamento de 10 dias fizeram ele, de fato, se apaixonar por ela.

Mas os vilões revelam um para o outro que: Ben nunca tentou conquistá-la de verdade e que Andy, na realidade, o usou de cobaia pra uma reportagem. É quando brigam e se afastam. Pra um bom chorão, é a parte em que nós, em casa, já começamos a procurar os lencinhos.

Mas um sente falta do outro e percebem que em meio à esse jogo, sim, se conheceram, e sim, se apaixonaram. Reparem que Ben fez de tudo para manter Andy, mesmo em meio à tantas loucuras. E, depois da matéria publicada, com uma sinceridade incrível, e da grande conta alcançada, eles sentem o vazio da companhia. Eles notaram que ganharam e perderam no meio disso tudo.

Qual a conclusão eu tive? Se hoje você está tentando conquistar alguém que parece impossível, tente mais uma vez, duas, três, quantas, na sua cabeça, forem necessárias. Já disse mil vezes e em vários textos que não faz papel de trouxa quem insiste em tentar, procurar, ir atrás e sim quem não dá valor à esse sentimento verdadeiro, à essa sinceridade. Seja um Benjamin. Lute por quem você gosta. O mundo está lotado de Andys, que fazem de tudo pra não dar certo com alguém, afim de manter o ego, um status de que ‘se apaixonar é a coisa mais terrível do mundo’. Gente que prefere um mundo de futilidade a coisas mais concretas. Gente que prefere perder, em vez de dar valor.

Numa época em que não se pode errar, se abra! Dê uma chance ou duas. Se entregue. Seja você e não o que os outros querem que você seja. Dê a oportunidade de amor te encontrar – ou te pegar a força se for o caso. Seja humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.