Oito Semanas


É incrível como um simples ajuste na unidade de medida muda tudo na cabeça de uma pessoa com pouca noção matemática e temporal. O fato de que o Instagram lista as fotos pelo número de semanas desde que elas foram postadas me dá uma sensação muito mais concreta, ainda que melancólica, do que se passou em minha vida recente. A contabilidade do tempo por anos ou meses diz pouco, mas saber que algo aconteceu a um número x de semanas de algum modo me perturba.

Entre as minhas fotos mais felizes está uma de 109 semanas atrás em que ando de bicicleta em casa jogando bola com meu cachorro. O momento é bonito, embora meu cabelo estivesse uma lástima (penso agora que cabelos são outra boa unidade de medida, como uma ampulheta orgânica que carrego comigo), mas o que importa é que lembro nitidamente da minha euforia interior naquele dia por motivos que pouco se relacionavam a qualquer um daqueles elementos enquadrados. Em outra foto, essa de 112 semanas atrás — talvez meu pico de contentamento desde que possuo conta nessa rede —, exibo uma capa de “Inferno by. Dan Brown” com o preço estampado (39 reais) em um dia que eu mesmo embarcava em uma jornada sentimental. Legenda: “O mundo é um inferno”. Há oito semanas meus joelhos sorriam esfolados ao lado de um focinho de cachorro num registro que não mostra nada, a não ser um dos dias mais legais dos últimos anos. A marquinha deixada pelo asfalto áspero ainda estampa meu joelho direito. Às vezes torço para que vire uma cicatriz; às vezes acho melhor não porque cicatrizes lembram algo que aconteceu há bastante tempo e a graça que vejo nela hoje é como um lembrete algo mentiroso de que os acontecimentos estão todos frescos, que nada se estabilizou, que as coisas ainda podem mudar de cor e textura até decidirem sua forma definitiva. Tem momentos em que não coloquei fotos no instagram, mas fotos do dia me lembram coisas que quero lembrar, hora esquecer. 

Oito semanas, 112 semanas. Qual seria o número ideal (e o aceitável) de semanas para que algo realmente incrível tenha acontecido?”

Adaptado por: Lucas Nascimento
compartilheisso@outlook.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.