O que é preciso para alcançar a Salvação


RECONHECER – Que precisa de Deus

Há uma grande diferença entre Reconhecer a existência de Deus e Reconhecer que precisamos d’Ele. Na verdade, do primeiro reconhecimento, teoricamente, uma grande parte da Humanidade partilha, já o segundo são pouquíssimos os que alcançam. Reconhecer que se precisa de Deus é o início de todo o processo para se alcançar a Salvação.



CRER – Que ELE pode salvá-la


Crermos que determinada pessoa ou entidade é a origem da nossa salvação é, em grande parte, depositarmos toda a nossa confiança nela. Depois de reconhecermos que precisamos de Deus, o passo (lógico) seguinte é crermos que Ele nos pode salvar e é neste campo que entra em ação a fé-inteligente, que é acreditar naquilo que não se vê e em coisas que se esperam.


CONFESSAR – Os seus pecados


Quando depositamos a nossa confiança em Deus, crendo que Ele é a fonte da nossa redenção, damos o passo óbvio seguinte, que é estreitarmos a nossa ligação com Ele. É aqui que entra a nossa dádiva, o desejo de mudarmos, de sermos melhores pessoas para que Ele se agrade de nós! Confessar os pecados é isto, arrependermo-nos e mudarmos para agradar a Deus.


ABANDONAR – Os pecados e erros


Esta é a diferença entre dizer que se ama alguém e marcar a data do casamento com essa mesma pessoa. O abandono dos pecados e erros significa que estamos a levar a sério a nossa relação com Deus, que O consideramos tanto quanto Ele nos considera a nós e que pretendemos que esta relação seja duradoura, para a Eternidade.


ENTREGAR-SE – 100% ao Autor da Vida de espírito, alma e corpo


Por fim, o casamento, a entrega, o lançar-se sem restrições nos Braços de Deus. E é esta ausência de reservas que O faz encaixar-nos nos Seus braços, receber-nos e tomar conta de nós. Se nos entregamos a Deus não há como sermos rejeitados, pois o próprio Cristo afirmou: “… o que vem a Mim, de modo nenhum o lançarei fora.” (João 6.37).


Colaborou: Henrique Ricci.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.