Moradores protestam contra o fechamento do Museu da Maré

Moradores do complexo de favelas e artistas plásticos protestam contra o fechamento do Museu da Maré no Rio de Janeiro

Localizado no Bairro de Bonsucesso, no Complexo da Maré, um conjunto de comunidades da zona norte do Rio de Janeiro, o Museu da Maré foi inaugurado em maio de 2006, levando aos moradores  uma experiência museológica inovadora que conta com riqueza de detalhes as memórias da comunidade. Em pouco tempo o local já se tornou referência nacional e internacional no trabalho de reprodução de memórias, sem contar com os inúmeros projetos culturais desenvolvidos pelo mesmo, usando a arte, música, dança, teatro, educação como formas de produção e difusão de bens culturais.Uma referência para a comunidade com suas ações voltadas para educação e cidadania dos moradores.

Referencial este que  encontra-se ameaçado, a Companhia Libra de Navegação emitiu uma notificação formal estabelecendo o prazo de noventa dias para a desocupação dos dois galpões  situados na Avenida Guilherme Maxwuell , 26, no Complexo da Maré ( Bonsucesso/RJ), os galpões foram cedidos há 10 anos em comodato para o Museu, que em 2006 recebeu do Ministério da Cultura, a Medalha da Ordem do Mérito Cultural.

O museu conta com arquivo, biblioteca, reserva técnica, área de exposição entre outros espaços, além de diversos projetos em parceria com órgãos como UNIRO, UERJ, UFRJ, FIOCRUZ, PUC, IPHAN entre outros com inúmeros projetos sociais que levam aos moradores da região esperança de dias e futuro melhor.

“Um órgão que combate diretamente a diferença social, o preconceito, a violência vivida pelos moradores da região, que leva uma perspectiva de vida aos jovens através da educação, da arte da cultura não pode de forma alguma ter suas ações interrompidas, e nós, eu, você temos o poder de ajudar e evitar o fim desse bem patrimonial”, diz o coordenador e fundador do museu, Luiz Antonio de Oliveira.

Os ativistas e moradores do bairro, criaram uma petição online que visa apenas 2 mil assinaturas contra o fechamento do museu. Eles defendem que o local ajuda a criar um novo espaço social para crianças e familías carentes, e que traz perspectiva de futuro para os carentes da comunidade. Além da caminhada realizada no último sábado, dia 18. Durante todo o dia, eles promoveram atividades artísticas e participaram de fizeram performances para pedir a permanência no espaço na Avenida Guilherme Maxwell.

“Vivemos criticando nossos governantes e muitas vezes desejamos estar no lugar deles, para agirmos de forma sensata , digna, justa e pensando no melhor para a população, pois esta é a sua, a nossa oportunidade, você tem o poder de ajudar esta causa, ou pode simplesmente ignorar, afinal, não é no seu “sapato” que está a “pedra”, atitude essa que não seria tão diferente quanto a dos políticos que você tanto critica”, finaliza Oliveira.

Ajude a campanha assinando a petição clicando aqui.

Por. Valquiery Souza | Rio de Janeiro (RJ). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.