Autoestima, cadê você?


Ser mulher já é complicado, temos que lidar com TPM, cólica, estresse, os homens, trabalho, afazeres de casa e etc. Como se não bastasse todos esses afazeres, ainda temos que ter tempo para “ser mulher”, ter o corpo perfeito, o cabelo com a cor, corte certo, usar roupas que são tendência na moda, ter as unhas com o esmalte que a risque acabou de lançar entre outros detalhes que implicam em ser mulher.

Mas o pior de tudo isso é administrar nossa autoestima mediante ao protótipo de mulher perfeita que a mídia faz questão de nos mostrar na TV, revistas e os meios de comunicação.

Quantas vezes nós começamos a nos comparar com outras mulheres e automaticamente passamos a nos inferiorizar por não sermos iguais a elas? Por não ter aquele corpo “violão”, aquele cabelo liso, sedoso e com brilho, e inúmeras coisas que fazem nossa autoestima ir lá pra baixo e quase desaparecer.

E isso não pode acontecer, nossa autoestima é nosso termômetro emocional pessoal, muitas de nós comete o erro gravíssimo de achar que a beleza vem das roupas que se usa, da maquiagem, do cabelo, do peso, das medidas de seu corpo, quando na verdade ela vem de dentro, quando você se aceita como é, e é feliz e entende que você é linda desse jeito, passa a conviver melhor consigo mesma e sua autoestima volta a funcionar e você aprende a se amar e se valorizar.

Nunca esqueça, chapinha, batom, roupas caras, plásticas dão um “jeito” na falta de beleza exterior, mas de nada adianta um quadro com uma perfeita moldura mas com uma pintura defeituosa

Seja linda por dentro primeiro, se ame, se valorize e se cuide, tudo isso irá refletir no seu exterior.

Beijos, até a próxima semana.

Por. Valquiery Souza.
compartilheisso@outlook.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.