#LucasViaja: Roma, um museu a céu aberto no coração da Europa

Foto no Coliseu, em Roma .

Passei 30 dias viajando pela Europa. Nesta série, você descobrirá detalhes de como aproveitar e qual foi o roteiro que eu fiz pelo velho continente. Além disso, tentarei detalhar todos os meus gastos com passeios, hospedagens, alimentação e transporte em cada um dos destinos para que você, viajante, saiba o que te espera quando colocar o pé no avião rumo ao seu sonho. Vem comigo? Passamos alguns dias em Roma, na Itália. Um museu a céu aberto no coração do continente europeu. 

Outra vez, optamos por uma companhia aérea low-cost e embarcamos em mais um voo da Ryanair, a mais conhecida do mundo. O voo é padrão e se repetiu a experiência que tivemos no voo de Santander para Londres . A única diferença é a distância e o horário e, para nossa grata surpresa, a chegada a Roma. 

As low-costs costumam pousar em aeroportos menores e secundários e quase sempre isso  é um problema para os passageiros, mas na capital italiana, embora seja minúsculo, o aeroporto secundário, Ciampino, é mais perto do centro da cidade, em comparação com o gigantesco Fiumicino. 

Outra coisa que chama a atenção, é o fato de a passagem de trem para a famosa estação central de Roma, Termini, ser MUITO mais barata que indo e vindo de Fiumicino. Saindo de Ciampino, você paga 1,80 € (R$ 8,22) em comparação com os 15€ (R$ 68,53) saindo do principal aeroporto. Isso já aqueceu meu coração e me fez agradecer à Ryanair infinitamente. 

Ficamos hospedados em um Airbnb de Roma em que tivemos muitos problemas, como por exemplo: não ofereceram internet, utensílios domésticos e para nosso desespero: não tinha sequer um chuveiro quente. Como estávamos num ritmo frenético de viagem, tomei um banho gelado (estava calor) e acabei pegando um resfriado que me deixou sem voz e com a garganta doendo por alguns dias. 

Porém, o Airbnb se disponibilizou a nos ajudar e reembolsou todo o valor pago na hospedagem. Menos mal, né? 

O que fazer em Roma?

Pergunta difícil. Roma é um museu a céu aberto. Mas irei elencar abaixo todos os passeios e pontos turísticos que conhecemos enquanto estivemos na cidade. 

Fontana di Trevi

A Fontana é a principal fonte de Roma. O espaço é lindíssimo, de tirar o fôlego e foi o nosso primeiro passeio ao chegar na capital romana. Você já se apaixona pela cidade ali. Além disso, há uma lenda de que se você joga uma moeda e faz um pedido, um dia, além do desejo se realizar, você tem a chance de voltar na Fontana para agradecer. Logo em breve voltarei. 

Coliseu

Este é, até hoje, o maior anfiteatro do mundo. Nele, os antigos romanos tinham suas sangrentas sessões de entretenimento. Gladiadores, batalhas navais (sim, o coliseu de enchia de água para simular guerras no mar), batalhas com feras e tudo o de mais absurdo que você pode imaginar, para satisfazer o ego de uma sociedade um pouco maluca. 

O Coliseu está aberto para visitações e o passeio, além de muito macabro, é sensacional. Pisar onde imperadores importantíssimos da história pisaram e saber que tanta gente morreu ali, faz esse passeio ser um dos mais requisitados do mundo, afinal, superando a Torre Eiffel, o monumento é o mais visitado do mundo nos dias atuais. 

Monte Palatino e Fórum Romano 

Fica no “mesmo complexo” que o Coliseu e o ingresso de um, dá acesso ao outro e custa 18€ (R$ 82,23). O Fórum Romano, localizado no Monte Palatino, é apenas onde TU-DO acontecia em Roma na época do império. Os templos de adoração aos deuses, o Senado, as residências dos nobres. Os Templos de Vênus, Saturno e Marte seguem quase intactos, mesmo com o passar do tempo. É um passeio incrivelmente agradável que vale a pena ser feito com calma, afinal, é Roma, e cada canto tem uma história. 

Piazza Venezia e Monumento Vittoriano em Roma

O monumento Vittoriano, localizado na Piazza Venezia, logo ao lado do Fórum Romano é uma escadaria toda talhada em mármore branco em homenagem ao exército italiano. A vista, do alto, mostra toda a silhueta de casas baixas típica da Itália. Lindo. 

Garanto que dá uma preguicinha de subir todos esses degraus depois de passear pelo Coliseu e Palatino, mas vale muito a pena a visita. Além disso, a descida é por dentro do espaço que é um museu gigantesco e gratuito. Além de ter um espaço bem gostoso para sentar, fazer um lanche e descansar. 

Pantheón

O curioso de Roma é que todos os pontos mais famosos de interesse ficam muito perto uns dos outros. Afinal, durante o império tudo ficava localizado na mesma região, isso porque a cidade não era tão gigantesca quanto é hoje. Então, a menos de 15 minutos de caminhada dali está localizado o Pantheón, um edifício de nada mais, nada menos que 1.893 anos. 

O curioso do Pantheón de Roma, diferentemente do de Paris , é o gigante buraco no teto da cúpula do que, hoje, se tornou igreja. Além disso, embora agora a Itália seja uma república, dois reis uma rainha do país estão enterrados ali. Além disso, artistas e até mesmo um Papa (que hoje já não descansa mais ali) foram sepultados no local. 

A visita é gratuita. 

Piazza Navonna e Fontana del Netuno 

A Piazza aparece no filme Anjos e Demônios e locais dizem que após o longa, as visitas ao local, que fica a uma rua de distância do Pantheón, que também aparece na obra cinematográfica que conta a história de Robert Langdon, cresceu absurdamente. 

A praça é um ótimo local para tomar um gellato e assistir aos shows dos diversos artistas de rua que ficam por ali. Aproveite. 

Cidade do Vaticano 

O Vaticano, sede da Igreja Católica no mundo, mereceria um post apenas dele. Afinal, mesmo dentro de Roma, é um país independente com sua própria moeda, leis, autoridades, língua (o latim é mais falado que o italiano nas propriedades do Vaticano), fronteira e Rei, hoje, o Papa Francisco. 

Depois do Louvre, os museus do Vaticano são os mais repletos de obras raras e de grandes artistas do mundo. Aliás, esses museus, juntos, são maiores em acervo e tamanho que o Louvre. Ou seja… imperdíveis, né!

A Capela Sistina é o local mais sagrado do catolicismo no mundo, afinal, ali, é onde são escolhidos os pontífices, os papas. Seu teto que é conhecido no mundo todo, possui um afresco pintado por Michelangelo e retrata todas as passagens mais importantes da bíblia e, no centro, o “quase” contato entre o homem e Deus. Não se pode tirar fotos lá dentro. Mas é I-M-P-E-C-Á-V-E-L. 

A Basílica de São Pedro é a igreja mais importante do mundo. Logo abaixo dela, e propositalmente, está enterrado o primeiro Papa, ninguém menos que São Pedro, morto crucificado de cabeça para baixo em Roma. A passagem bíblica “Sob essa Pedra, Edificarei Minha Igreja”, é literalmente interpretada aqui. Afinal, os Papas tomam todas as decisões (boas ou não) que guiam parte do cristianismo do mundo a partir dali. 

O Vaticano é um país, o menor do mundo, porém incrível e não importa a sua religião, se passar por Roma, vale a pena visitá-lo. 

Piazza Navona 

Também é cenário para uma das cenas do filme Anjos e Demônios e, obviamente, fiquei bastante curioso para conhecer todos esses lugares. Na praça, está localizado a “Fonte dos Quatros Rios”, construída por Bernini em 1651. As quatro estátuas da fonte representam os quatro rios mais importantes da época: o Nilo, o Danúbio, o Ganges e o Rio da Prata. No centro está instalado o obelisco de 16 metros de altura que pertenceu ao Circo de Maxêncio, que foi encontrado na Via Apia.

Piazza di Spagna

A Piazza di Spagna é um dos lugares mais concorridos de Roma. Sua escada é famosa e os turistas saem no tapa por uma boa foto ali. 

De acordo com o Civitatis, a Piazza di Spagna está situada em uma das melhores regiões de Roma: a Via dei Condotti (rua famosa para fazer compras), a Via Frattina e a Via del Babuino (com vários palácios dos séculos XVII e XVIII) são algumas das ruas mais destacadas da cidade.

Subi mais escadas, mas valeu MUITO a pena. O lugar é lindíssimo e, como de praxe na cidade, tem uma fonte de água mineral que você pode usar para molhar o rosto ou até mesmo se refrescar para o próximo destino a ser visitado. 

Igreja Santa Maria Del Popolo – O Êxtase de Santa Teresa 

Eu queria muuuuuito ver essa obra controversa, talvez uma das mais polêmicas do mundo. Do Vaticano, onde foi proibida de ser exibida, ela está à mostra numa igreja minúscula e praticamente escondida em Roma. 

O Êxtase de Santa Teresa mostra um anjo com uma lança flamejante atravessando a freira que está em transe. Controverso? MUITO. A gente não precisa falar, mas já dá pra imaginar o que Bernini quis dizer com essa obra, né? 

Culinária

Desde a saída do Brasil, e quando cheguei em Roma, já estava há mais de 20 dias fora daqui, imaginei que seria o lugar em que eu comeria melhor e – na prática – foi. Muita massa, vinho, pizzas, macarronadas, vinho e mais e mais festas. 

Roma é a cidade com a vida noturna mais ativa e agitada da Europa. Enquanto em outros lugares, tudo fecha entre 23h e 0h, na capital italiana em um dos dias ficamos até quase 2h da manhã numa festa de rua, igualzinho a um Baile de Favela aqui do Brasil. 

Muitos jovens, bebidas, música alta e vizinhos incomodados. Roma é o que o brasileiro festeiro tem de melhor só que do outro lado do Oceano Atlântico. 

Por fim, percebi que Roma é a cidade mais bagunçada, louca, caótica, cheia e bela que eu conheci nessa eurotrip. A cada esquina, uma história diferente. Roma já se tornou uma das minhas cidades favoritas no mundo. 

É, talvez, a grande capital mais antiga do mundo. O Império Romano reinou intacto por muitos e muitos anos. E enquanto se caminha pelas ruas da cidade, em sua versão mais cosmopolita, ainda é possível se deparar com as ruínas deste grandioso passado que ela viveu.

Roma é antiga e moderna ao mesmo tempo. É cosmopolita, jovem, cheia, apaixonante e romântica, além de charmosa. A culinária é rica, saborosa e cativante. Acho impossível não se apaixonar pela cidade eterna.

Fui embora, mas calculando as horas para voltar.

Quanto gastei em Roma?

Gastos totais para duas pessoas

Passagem aérea: R$ 241,95 – Tarifa básica apenas com mala de cabine;
Transporte: R$ 22,40 – Trem e ônibus na cidade (fizemos praticamente tudo andando);
Alimentação: R$ 300 – Café, almoço e jantar;
Passeios: R$ 1.155,18 – Coliseu, Museus do Vaticano e Visita Guiada, Monte Palatino;
Hospedagem: R$ 453,74 – Airbnb

Tem muuuita coisa da viagem no meu Instagram

Mas, para postar tudo isso no Instagram, eu precisei de internet na Europa, né?! Por isso, agora sempre que viajo, eu conto com o serviço da Travel Mobile. Eles oferecem os chips das melhores operadoras em cada país que você vai. Por exemplo, na Europa, usei a operadora Orange – que funcionou super bem em todos os países que já fui – e ainda contei com assistência 24h, serviço de voz e SMS ilimitado pra qualquer emergência. 

Tudo isso por um preço que cabe no seu bolso, viajante! E, melhor, leitores de COMPARTILHE, comprando com o link da nossa parceria ganha desconto. É só entrar no site deles clicando aqui.

Fontana di Trevi, em Roma

Lembrando que, para viajar para a Europa, é OBRIGATÓRIO o uso do Seguro Viagem, um custo mínimo para a sua viagem e que te protege em qualquer eventualidade que possa acontecer durante sua trip. Sem seguro, você sequer passa da imigração. Fique atento!

No próximo post chegamos à cidade no meio do mar, Veneza , na Itália . Uma cidade animada, carnavalesca, cheia de água e alegria.

Perdeu os últimos posts? Veja aqui o que a gente achou de Berlim, a cidade mais interessante da Europa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *