Livros dão voz aos sonhos que você quer viver na realidade

Tenho memória fotográfica, então consigo me lembrar de basicamente tudo que vi ou ouvi à longo prazo. E, ontem, me lembrei de uma aula de Língua Portuguesa e Literatura do Ensino Médio, lecionada há mais de dois anos, em que a professora dizia que “os livros, as histórias surgem conforme uma necessidade de consumo do leitor e, que os autores, se aproveitam de uma determinada onda de sucesso para escreverem séries ou histórias que se tornam destaque dentro do mesmo viés”.

Personagens de Jogos Vorazes.

Na época, a título de exemplo, ela citou Harry Potter e, que na mesma época surgiu, Senhor dos Anéis, duas aventuras mágicas e sobrenaturais de reis e magos. Diários de um Vampiro, que logo depois surgiu a Saga Crepúsculo e tantas outras histórias vampirescas e etc.

A história recente, aponta que o mesmo rumo não mudou desde que ela nos ensinou esta perspectiva e provavelmente há muito mais tempo quando ela aprendeu sobre isso. Diversas séries ou solos, surgem com os mesmos aspectos, só que explorados de pontos de vista diferentes, o que mantém os leitores ligados em uma rede infinita, já que as pessoas apaixonadas por leitura não param de ler nunca. Livro após livro, série após série. Você deve estar boquiaberto se não sabia disso, e não, isto não é um problema. Isso se chama: literatura de massa, também conhecida como best-seller.

Cena do filme Maze Runner: Correr ou morrer.

Conversei com minha professora do ensino médio para buscar um entendimento maior sobre o assunto. Jane fala que esse fenômeno ocorre devido ao nosso momento histórico. “No Brasil, por exemplo, estamos sob forte caos na economia, cientistas e governantes estão preocupados com a falta de recursos básicos, como a água. O efeito estufa e os raios solares têm preocupado até os mais céticos. É neste momento, que os autores escrevem sobre nossos medos, criando heróis que sobrevivem e nos salvam destes problemas”, explica Jane Ribeiro de Barros.

Vou ilustrar como acontece:

Na terra futurista em um tempo distante…

A terra foi destruida por uma radiação muito forte do sol, liberando um vírus mortal, o fulgor, então alguns puros que não foram atingidos pela praga, são presos em um labirinto, enquanto são observados por cientistas que criaram um padrão mental, para descobrir quem é imune ou não ao vírus. Um líder, Thomas, inicia uma rebelião e os clareanos, como se chamam, correm ou morrem para conseguem fugir, lutam, uma verdadeira prova de fogo contra a organização e a destroem. Com ajuda, chegam a um local, um novo mundo, uma cura mortal em meio a ordem de extermínio, puro só pra eles, criam facções que dividem as pessoas por suas qualidades. Coragem, inteligência, amizade, franqueza e amor ao próximo, mas quando a genética destas pessoas se purificam outra vez, criando alguns divergentes, o governo tenta os matar, para evitar a verdade. Como as gerações passaram, novos líderes surgem: Tris e Tobias se rebelam, lutam, vencem e conseguem modificar novamente a sociedade dividindo-a em distritos. Um novo tipo de governo é formado e eles passam a fazer um reality show com dois jovens de cada distrito provando coragem e sangue frio. Eles matam para sobreviver. Só um fica de pé. Mas em uma versão desses jogos vorazes, Katniss Everdeen e Peeta Melark decidem acabar com isso, e sobrevivem juntos, a duas edições deste reality sangrento, começando outra rebelião contra o governo instituído, o tordo vence e a sociedade é libertada.

Você deve ter reconhecido alguns personagens e histórias aqui, eu sei. 
São três. Esse é o objetivo. 

Personagens da Série Divergente.

Quero mostrar para você que, uma série pode dar sequência a outra, já que são exploradas dentro do mesmo viés futurista de sobrevivência e coragem após grande destruíção e exinção da raça humana, em que a literatura e o cinema atual está.

Maze Runner, a série Divergente e Jogos Vorazes são um efeito da literatura de massa vigente que, se unidas, como fiz, com o pequeno spoiler unificado das três juntas acima, dão um pânorama daquilo que a nossa imaginação e a opinião pública atual estão pensando sobre os problemas atuais vividos por nós.

E assim buscamos, mesmo que nos sonhos, na fantasia e na imaginação, uma solução. “Temos noção da complexidade da situação, mas mesmo assim, ainda nos permitimos sonhar. Os escritores vão na onda e, por serem best-sellers, destinados a um número maior de pessoas, os livros são feitos para alimentar as ilusões e ideais de gente que não têm como se manifestar”, concluí Jane.

Por. Lucas Nascimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *