Lições que ‘Cinquenta Tons de Cinza’ ensina sobre a vida e o amor


Há quem diga que a série ‘Cinquenta Tons’ é puro erotismo barato, outros acharam a história da autora de primeira viagem E.L James entediante e até mesmo chata. Ainda há uma repulsa muito grande de certa parte do público masculino com a trama. Mas a questão é a seguinte: você precisa ter muita sensibilidade para ler e entender o que, de fato, a história quer mostrar. E não é o sexo, está muito longe disso. Ele nos ensina lições básicas para ser feliz no amor. 

Christian Grey é um personagem extremamente complexo e intenso. Ele tem medo de seu passado. Aos quatro anos de idade perdeu a mãe que era viciada em crack e prostituta. O cafetão que “administrava” a “puta drogada”, como ele chama, o maltratava quando criança. Até que sua mãe foi morta e ele foi adotado pelos Greys. Mas esse trauma ainda o persegue. Ele não permite ser tocado, é extremamente controlador, fechado em sua bolha, esquecendo-se que pode ser feliz. Ele acha que não é digno do amor de ninguém. Por ter sucesso nos negócios, é CEO da Grey Enterprise & Holdings, se tornou um magnata multimilionário, que pode comprar, fazer e ter o que quiser. Optou pelo sadismo, foi submisso de uma mulher muito mais velha desde seus quinze anos de idade e acredita que esse “estilo de vida” o salvou de si mesmo. Até conhecer…

Anastásia Steele, uma jovem que acabou de se formar em Literatura Inglesa, uma garota simples, que nunca namorou e que é virgem, recatada. Seu pai morreu enquanto criança, e sua mãe já está no quarto casamento. Trabalha em uma loja de ferramentas Claytons, na cidade de Portland, estado de Washington, em Vancouver . Não há muito que descobrir sobre Ana em toda a série. 

Ela conhece Christian em uma entrevista para o jornal de alunos que ela precisou fazer para Kate, formanda em jornalismo e sua colega de quarto, enquanto a moça estava doente. E se apaixonou por Grey logo que o conheceu, e com ele aconteceu o mesmo. A partir de então a história de ambos começa a mudar. E os acontecimentos que se seguem são intensos. 

Christian queria Ana como submissa. Ele queria levá-la ao “Quarto Vermelho da Dor”, mas ela não sabe se está preparada para isso, mas cede algumas vezes aos encantos do controlador Grey. Ela se sente pressionada, perdida e sem rumo. Christian também abre mão de muitos dos seus caprichos por querer ter Anastásia. Umas das lições é: ceder às vontades do outro. 

Ana percebe que seu amor precisa exercer o controle o tempo todo e tenta, na maior parte do tempo, ceder e ser controlada por ele. Por outro lado, Christian sabe que Ana não consegue se sentir à vontade em todo o tempo, e muda seu comportamento para tê-la. 

Christian é impulsivo, ele tem uma personalidade “Cinquenta Tons” que muda a cada momento. Ele confunde Anastásia. Em um acesso de raiva, Ana permite que ele bata com o cinto nela. É quando ela percebe o quão problemático seu “Cinquenta Sombras” pode ser. Com medo, ela decide terminar tudo o que tinha entre eles. 

É quando realmente um percebe que precisa do outro. É quando a guerra de egos, a guerra interna acaba perdendo para o amor. Christian muda, ele não quer mais que Ana seja sua sub. Ele quer algo mais sério. Pela primeira vez em sua vida, ele entra em um relacionamento sem um contrato, e sim, em um que é regido pelo amor. Eis outra lição: mudar o comportamento prejudicial para ficar com a outra pessoa. 

Mesmo assim, Christian continua com medo de seu passado obscuro, e Anastásia faz de tudo para entendê-lo e apoiá-lo em todos seus medos. Ele não quer perdê-la, ela o mudou. Ele passa a permitir que ela o toque, passa a incluí-la em tudo na sua vida. Após a formatura, ela se muda para Seattle, e passa a trabalhar como assistente de edição na Seattle Independent Post. Para protegê-la, Christian compra a empresa – e demite um funcionário que tenha abusar sexualmente de Ana. Outra lição: eles exercem o tempo todo o companheirismo. Nada passa despercebido dos olhos controladores de Christian. Sabendo dessa obsessão dele, Ana deixa-o informado sobre tudo o tempo todo. “Cinquenta” é o que mais sofre para conseguir fazer isso. Mas acaba cedendo com as pressões de Ana. 

Grey acha que não pode ser amado por ninguém, ele não se sente digno de amor e carinho. Mas além de ser um homem muito forte e de sucesso, ele é frágil. Ele aprende e entende o que é o amor, e percebe que é esse sentimento que o fez mudar e ser uma nova pessoa. Ele encontra a resistência para enfrentar o passado, esquecê-lo e passa a viver e a investir no futuro.  

Sra. Robinson, a mulher que fez Christian de submisso por vários anos, é um problema para Ana. Elena e Grey possuem agora uma relação profissional, que incomoda muito Anastásia. O casal briga diversas vezes por causa dela e Christian não entende o porquê disso tudo. Para Ana, ela é uma pedófila que abusou e marcou ainda mais ele. Para dar fim na desconfiança existente, ‘Cinquenta’ decide não manter contato algum com Elena, que não aceita isso e faz de tudo para retornar para a vida do rapaz. Christian luta consigo mesmo e decide não deixar que isso arruíne seu relacionamento com Ana. Outra lição: eles deixam quem prejudica seu relacionamento à distância.  

Em diversos momentos dos três livros, me peguei com os olhos cheios de lágrimas, em outros chorei. É uma história de amor, superação, rompimento de barreiras internas e externas, de cumplicidade e principalmente de amor. O sexo é muito presente em todo o tempo. Mas isso não é a base da história, como muitos que criticam costumam pensar e afirmar. O erotismo é apenas uma apimentada que deixa a leitura mais excitante e fascinante.  



Se ainda não leu, não perca mais tempo. A série consiste em três livros: Cinquenta Tons de Cinza, Cinquenta Tons Mais Escuros e Cinquenta Tons de Liberdade. A trama será totalmente adaptada para o cinema, o primeiro filme da série foi lançado em fevereiro de 2015. As sequências serão lançadas em fevereiro de 2017 e fevereiro de 2018 consecutivamente. Os atores que dão vida para os personagens de Christian Grey e Anastásia Steele são Jamie Dornan e Dakota Johnson. O longa “Cinquenta Tons de Cinza”, superou as perspectivas mais otimistas e tornou-se a melhor bilheteria da história entre filmes para maiores, alcançando (sugestivos) US$ 569 milhões. 

Quem narra a história no livro é Anastásia, mas como os fãs pediram, pediram e pediram, a autora E.L James, lançará em 18 de junho, aniversário de Christian, o livro “Grey”, que mostra como tudo aconteceu sob o ponto de vista do rapaz. No Brasil, o livro será lançado em 18 de setembro, pela editora Intriseca. 

“Christian é um personagem complexo e os leitores sempre foram fascinados por seus desejos e motivações, assim como por seu atormentado passado. Além disso, qualquer pessoa que já teve um relacionamento sabe: sempre há duas versões de uma mesma história”, disse a escritora ao anunciar que lançaria o livro.

Cabe a nós esperar, não é? E aí, está esperando o que para ler os livros e correr para ver o filme?

Por. Lucas Nascimento
Clique no nome e conheça o jornalista

Escute One Last Night – da trilha sonora oficial do longa


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *