O sexo frágil? Só que não!


Não sei por que em pleno Séc. XXI ainda insistem em nos rotular como sexo frágil, o que me levou a pensar o porquê desse rótulo.

Eu entendo que há uns 30, 40 anos atrás as mulheres não tinham um espaço na sociedade, só serviam para cuidar da casa, lavar, assar, cozinhar e etc.

Mas aí se vamos estudar a fundo a história de nós mulheres, vemos muita coragem, determinação, intrepidez, será que uma pessoa que é sexo frágil poderia arriscar sua própria vida, liberdade, integridade física e emocional, para lutar por seus, os nossos direitos?

Aí já começa a queda dessa teoria de que as mulheres são o sexo frágil, é só pararmos para pensar, olhar ao nosso redor, poderia uma mulher sexo frágil estar à frente de nosso país? Liderando homens, olha bem uma mulher mandando em vários outros homens, não só na política, mas quantas não são as mulheres que tem profissões em que tem homens sendo subordinado as suas ordens?

Vamos lá mulherada, muitas das vezes aceitamos esse rótulo, entendo que em alguns momentos somos sim frágeis, mas tudo isso depende do momento, ocasião, situação e etc, eu e você sabemos muito bem que não somos esse ser frágil o tempo todo.

Queria ver um ser frágil de verdade aguentar cólica, TPM, gravidez, dor do parto, criar os filhos, limpar, passar, cozinhar, lavar, trabalhar fora, “aguentar os homens” e por aí vai, quantas não são as mulheres que tem uma jornada de trabalho que consome praticamente às 24 hrs de seu dia? Então vamos parar com essa teoria que já está mais do que descartada de que somos o sexo frágil e bonequinhas de porcelana.

Existem mulheres mais guerreiras que muitos homens, o que dizer de mães que criam seus filhos sozinhas? Que sustentam sua família? Será que isso é ser sexo frágil? Tenho certeza que não!

Frágil é essa teoria, que talvez funcionou bem na década de 50, 60,70 …

Mas hoje não! Existem mulheres como eu e você que mostram o quão fortes nós somos.

Por. Valquiery Souza
Representante do Compartilhe no Rio de Janeiro .
compartilheisso@outlook.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *